Goldman Sachs vê panorama sem brilho para consumo, revisa preços-alvos

miércoles 3 de septiembre de 2014 12:49 GYT
 

SÃO PAULO, 3 Set (Reuters) - O Goldman Sachs avalia que a perspectiva para os consumidores brasileiros permanece sem brilho e que uma reversão significativa dessa tendência é pouco provável no próximos seis a 12 meses, conforme relatório no qual ajusta o preço-alvo de várias ações do setor.

"A criação de empregos está em níveis historicamente baixos e as pressões da inflação corrente que comem os ganhos reais de renda continuam a fazer a confiança do consumidor despencar", diz o texto assinado pelos analistas Irma Sgarz, Bernardo Cavalcanti e Alencar Costa.

Nesse contexto macroeconômico, o Goldman indica a investidores optar por uma atitude mais seletiva, com nomes mais defensivos de empresas com geração de caixa, como Lojas Americanas e Hypermarcas, que têm recomendação de "compra" do banco norte-americano.

A ação de Lojas Americanas, inclusive, teve o preço-alvo elevado de 16,90 para 17,90 reais, para incorporar os números do segundo trimestre e a fatia da companhia na B2W após o aumento de capital de sua controlada.

No relatório, o Goldman Sachs também chamou a atenção para alguns destaques micro em que ganhos de participação proporcionaram algum isolamento de tendências macro, citando Lojas Renner, Via Varejo e Arezzo , também com recomendação de "compra". Os respectivos preços-alvos são de 84,50 reais, 30,20 reais e 34,40 reais.

O banco, enquanto isso, disse estar cauteloso com nomes que enfrentam questões internas colidindo com o cenário macroeconômico desafiador, como Brasil Pharma, Marisa Lojas e Restoque, que têm recomendação de "venda".

As duas últimas empresas tiveram os preços-alvos ajustados para incorporar os resultados do segundo trimestre. No caso de Marisa, a estimativa passou de 13,20 para 13,30 reais; e de Restoque, de 5,50 para 6,20 reais.

Pela mesma razão, o Goldman Sachs revisou o preço-alvo de Magazine Luiza para 9,40 reais, ante 9,20 reais; de B2W para 32,20 reais, frente a 28,40; e Technos para 12,40 reais, contra 13 reais anteriormente. Todos esses papéis têm recomendação "neutra".

A Cia Hering, que tem recomendação "neutra", também teve o preço-alvo ajustado para 24,40 reais, ante 21,80 anteriormente, a fim de refletir novos benefícios fiscais. (Por Paula Arend Laier, Edição de Marcela Ayres)