27 de octubre de 2014 / 12:42 / hace 3 años

Ações de estatais despencam na Bovespa após reeleição de Dilma

2 MIN. DE LECTURA

SÃO PAULO, 27 Out (Reuters) - As ações das empresas estatais recuavam fortemente na Bovespa na manhã desta segunda-feira, com agentes financeiros reagindo à reeleição da presidente Dilma Rousseff no domingo, por uma margem apertada.

Uma das principais insatisfações de operadores e analistas em relação às diretrizes econômicas do governo federal vinha do que consideram como intervenção excessiva nas estatais, que eles veem persistindo com a continuidade de Dilma no Palácio do Planalto.

Às 10h32, as preferenciais e ordinárias da Petrobras despencavam mais de 12 por cento cada. Banco do Brasil caía 10 por cento. Eletrobras PNB tinha queda de 11 por cento, enquanto o papel ON perdia 13,3 por cento.

"Se Dilma optar por um caminho diferente, pode conseguir acalmar o mercado. Caso insista em nomes que não são bem aceitos pelo mercado, teremos mais quatro anos extremamente ruins na economia. No primeiro momento, o mercado não irá dar o benefício da dúvida a ela", disse o gestor de um fundo no Rio de Janeiro, pedindo para não ser identificado.

No caso de Petrobras, o UBS colocou a recomendação de "compra" e o preço-alvo de 20 reais em revisão, citando incertezas relacionadas aos preços do petróleo e à taxa de câmbio, bem como ao cenário político. (Por Paula Arend Laier, edição Alberto Alerigi Jr.)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below