Baixo crescimento e inadimplência afetam visão do setor financeiro, diz BTG

miércoles 18 de junio de 2014 10:44 GYT
 

18 Jun (Reuters) - Após uma série de reuniões com investidores em São Paulo e no Rio de Janeiro, o analista do BTG Pactual Eduardo Rosman e sua equipe notaram uma crescente preocupação sobre as baixas taxas de crescimento econômico do Brasil, o potencial aumento na inadimplência no ano que vem e a crescente concentração da alocação de investidores em ações do setor financeiro do país.

Em nota a clientes divulgada nesta quarta-feira, Rosman, analista sênior do BTG Pactual para o setor financeiro da América Latina, disse que as ações do Itaú Unibanco permanecem como o papel preferido entre investidores, junto às ações do rival Bradesco.

Do mesmo modo, a eleição presidencial de outubro é uma importante preocupação para estes investidores, acrescentou a nota. "Ninguém vê uma tendência clara, o que nos leva a perguntar a nós mesmos: 'Investidores devem montar um portfólio defensivo ou um com mais beta?'", de acordo com a nota.

Investidores permanecem pouco interessados em ações de BM&FBovespa e Cetip, enquanto que a maioria vê um potencial de alta limitado para BB Seguridade e Cielo, segundo a nota.

As principais escolhas de Rosman permanecem sendo Cielo, BB Seguridade e Itaú, com um viés mais positivo para companhias de serviços financeiros do que bancos.

(Por Guillermo Parra-Bernal)

REUTERS RF PJ