BTG Pactual reitera "underweight" para Brasil em carteira de ações para agosto

martes 12 de agosto de 2014 12:31 GYT
 

SÃO PAULO, 12 Ago (Reuters) - O BTG Pactual reiterou sua classificação "underweight" (abaixo da média do mercado) para o Brasil em sua carteira de ações para América Latina em agosto, citando a deterioração do ambiente macroeconômico.

"O Brasil continua a sofrer com revisões macroecômicas para baixo consistentes, e quando adicionamos a fraqueza do país ao 'mixer', então o Brasil parece ter uma das maiores desvantagens cambiais", escreveram os analistas em relatório publicado nesta terça-feira.

Ele acrescentam que, apesar de esperanças de que as eleições presidenciais --"se a oposição vencer"-- podem mudar os fundamentos macroeconômicos, até este momento preferem evitar participar do "jogo da virada do Brasil".

Os analistas do BTG também citam que, além de questões dos resultados corporativos e do câmbio, o Brasil tem o custo oportunidade mais caro da região.

O BTG também manteve a classificação "overwweight" (acima da média do mercado) para México, assim como para Colômbia, enquanto Chile e Peru continuaram com classificação "neutra".

A carteira atualizada do mês traz a adição da brasileira Cia Hering, da mexicana Gentera, da chilena Colbun e da colombiana Grupo Sura. Foram removidas a brasileira Cielo , o Santander Mexico, Santander Chile e Exito.

Também fazem parte da carteira a mexicana Fibra MQ, a brasileira BB Seguridade, o peruano Credicorp, o colombiano Davivienda, a mexicana Cemex, a mexicana Televisa e a brasileira BRF. (Por Paula Arend Laier; Edição de Cesar Bianconi)