PT dispara 4 pct com expectativa AG dê OK à fusão com OI

lunes 8 de septiembre de 2014 04:39 GYT
 

LISBOA, 8 Set (Reuters) - A acções da Portugal Telecom disparam 4 pct, com os investidores a apostarem que a Assembleia Geral de accionistas agendada para hoje vai dar o 'OK' à fusão com a brasileira OI, segundo dealers.

"Vai haver a AG e há expectativa que a fusão seja firmada, siga em frente. Já há duas sessões que a PT vinha consolidando esta subida", afirmou Paulo Rosa, dealer da GoBulling, no Porto.

"A PT tinha sido muito penalizada com a questão da Rioforte e com o temor, a certa altura, que o próprio negócio estaria em causa. Agora, havendo a expectativa que este, afinal, siga em frente, o título recupera", explicou.

Em Julho, a Rioforte, 'holding' da família Espírito Santo que, entretanto, pediu a insolvência, incumpriu o pagamento de quase 900 milhões de euros (ME) de papel comercial que tinha sido colocado na PT Portugal.

A RioForte não reembolsou estes instrumentos de dívida, obrigando à revisão do acordo de fusão da PT com a brasileira OI com a redução da participação da portuguesa na CorpCo para 25,6 pct dos anteriores 38 pct.

Apesar de algum temor que este investimento deitasse por terra a operação, os investidores estão a apostar que ela vai conseguir o apoio accionista necessário para avançar: dois-terços dos votos.

Paulo Rossa referiu que a OI e PT "estão umbilicalmente ligadas" e que a Oi tem subido significativamente, o que também ajuda a subida desta manhã. "Desde 25 de Agosto, a Oi soma ganhos de mais de 30 pct", vincou.

Por sua vez, Albino Oliveira, analista da Fincor, em Lisboa, realçou o impacto da Oi ter fechado a subir 6,4 pct na sexta feira passada.

"Ainda não é certo que o negócio tenha o 'OK', mas a expectativa que isso aconteça está a ter o seu peso. Penso contudo, que este é um movimento que acompanha a subida da OI da última sessão", disse.

Foram negociadas 3,2 milhões de acções da PT, a subirem 3,4 pct para 1,81 euros, tendo tocado o máximo diário de 1,823 euros. (Por Daniel Alvarenga; Editado por Filipa Cunha Lima)