Reestruturação e consolidação são 'triggers' Portugal Telecom-MainFirst

jueves 5 de junio de 2014 10:46 GYT
 

LISBOA, 5 Jun (Reuters) - A reestruturação financeira no âmbito da fusão com a Oi e eventuais movimentos de consolidação no mercado brasileiro contribuem com mais de metade da avaliação da Portugal Telecom (PT), segundo a MainFirst, que subiu ligeiramente o seu preço-alvo para a telecom.

Nahum Sanchez, analista desta casa de investimento, ajustou ligeiramente em alta o preço-alvo da PT para 3,88 euros, de 3,85, com um 'upside' significativo face aos 2,7 euros em que o título negoceia.

"Mais de 50 pct do valor vem da reestruturação e da consolidação 'in-market'; excluindo as duas, a PT valeria 1,85 euros por acção", referiu Nahum Sanchez.

"A má notícia para a PT é a ausência de 'free cash flow' positivo até 2016, requerendo que os investidores sejam fiéis crentes na habilidade da empresa de virar ao contrário a situação actual", acrescentou.

Adiantou que as "boas notícias" vêem do lado da reestruturação em curso, onde vê sinergias da fusão no valor de 7.190 milhões de reais, um valor bem acima dos 2.200 milhões de reais previstos pela empresa.

Estas sinergias virão de: potenciais vendas das participações em activos em África, "gerando mais poupanças financeiras do que os dividendos que recebe"; da redução de despesas financeiras da dívida redenominada de reais em euros; poupanças de impostos com a dedução de 'goodwill'; e de menores custos de 'working capital'.

A MainFirst referiu que a PT ficará com uma participação de 37,4 pct na CorpCo, a empresa que vai emergir da fusão com a Oi, cuja execução ainda tem pelo menos quatro meses pela frente.

"Mantemos a nossa visão sobre a probabilidade de consolidação 'in market' no Brasil, com benefícios significativos para a OI/PT como uma outra fonte de crescimento", referiu Nahum Sanchez.

As acções da PT avançam 2,4 pct para 2,7 euros.   Continuación...