Portugal Telecom resvala 10 pct com riscos investimento dívida GES

martes 1 de julio de 2014 05:05 GYT
 

LISBOA, 1 Jul (Reuters) - As acções da Portugal Telecom (PT) afundam 10 pct para mínimos de 17 anos e meio, continuando a ressentir-se dos potenciais efeitos nocivos do seu investimento em dívida do Grupo Espírito Santo (GES), segundo operadores.

A PT, que tem como maior accionista o Banco Espírito Santo (BES), confirmou na semana passada, que investiu em papel comercial da RioForte, do Grupo Espírito Santo (GES), antes da fusão da PT com a brasileira Oi, algo que foi visto como um foco potencial de riscos reputacionais.

Ontem, a PT esclareceu que tem uma exposição total ao GES de 897 milhões de euros (ME) em papel comercial da Rioforte, que vence em Julho, não tendo sido dada ordem de renovação.

"Esta situação tem várias consequências negativas para a PT: cria um risco de crédito potencial, já que as unidades do grupo estão financeiramente aflitas; levanta grandes questões sobre políticas de tesouraria já que a PT investiu 40 pct das sua posição financeira num produto arriscado; e outras questões reputacionais", segundo Javier Borrachero, analista da Kepler.

Lembrou que "a PT caiu 7,4 pct em duas sessões ou 210 ME em valor, subentendendo uma perda de 23 pct em caso de default, sem mais questões reputacionais".

"Acreditamos que as perdas em caso de default possam ser mais elevadas, já que a Rioforte poderá não ser capaz de refinanciar o papel comercial e poderá ter de recapitalizar dívida ou emitir obrigações convertíveis", explicou o mesmo analista.

Foram negociadas 9,5 milhões de acções da PT, a caírem 7,8 pct para 2,469 euros, após tocarem o mínimo de 2,42 euros, a cotação mais baixa desde Janeiro de 1996. (Por Filipa Cunha Lima; Editado por Daniel Alvarenga)