FOCO-Portugal Telecom afunda 29 pct para mínimo histórico, pressão dívida Rioforte

lunes 20 de octubre de 2014 10:01 GYT
 

(Acrescenta BPI, detalhes)

LISBOA, 20 Out (Reuters) - As acções da Portugal Telecom afundaram 29 pct para novos mínimos de sempre, pressionadas pela maior probabilidade de não recuperar os 900 milhões de euros (ME) de dívida comprada à Rioforte, dado que esta entrou em liquidação de activos sem ter protecção contra credores, segundo analistas.

Na sexta-feira passada, o Tribunal de Comércio do Luxemburgo negou a protecção contra credores pedida por duas 'holdings' insolventes da família Espírito Santo, a Rioforte e Espírito Santo Internacional, que avançam agora para um processo de liquidação de activos.

Isto, deverá tornar ainda mais difícil a recuperação da totalidade da dívida comprada pela PT à Rioforte.

"Esta decisão evidencia a situação delicada da Rioforte e, na nossa perspectiva, reduz a expectativa para a taxa de recuperação", afirmou Pedro Oliveira, analista do BPI.

"Por outro lado, é provável que acelere o processo e permita uma avaliação no horizonte mais consistente com o mercado de capitais e que traga interesse adicional de 'distressed funds'", acrescentou.

Segundo a Berenberg, com os activos portugueses agora detidos pela Oi, o valor da PT SGPS "é muito incerto", pois esta detém apenas uma participação de 25,6 pct na Oi e aquela dívida da Rioforte, a quem o Tribunal do Comércio do Luxemburgo negou a protecção contra credores e está em liquidação de património.

"Evitem a PT, é melhor deter acções da OI directamente", afirmaram os analistas da Berenberg, referindo que as acções da PT "permanecem uma perspectiva incerta".

"Ainda achamos que os investidores à procura de exposição a esta situação ficam melhor se detiverem directamente a Oi, do que as mais alavancadas acções da PT", afirmou a Berenberg.   Continuación...