NOVA 1-PT quer informações Banco Portugal para apurar responsáveis dívida Espírito Santo

miércoles 22 de octubre de 2014 03:04 GYT
 

(Acrescenta reacção Banco Portugal)

Por Sergio Goncalves

LISBOA, 22 Out (Reuters) - A PT-SGPS quer que o Banco de Portugal (BP) lhe preste cruciais informações para apurar todos os responsáveis do BES pela comercialização de dívida emitida pelo insolvente Grupo Espírito Santo (GES), incluíndo os 900 ME em 'default' da Rioforte, ameaçando recorrer aos tribunais para ser esclarecida.

No entanto, em comunicado, o Banco de Portugal adiantou que "as informações solicitadas (pela PT) estão cobertas pelo dever de segredo da autoridade de supervisão, pelo que o BP não poderá divulgá-las, sob pena de violar o determinado pela lei"

A PT-SGPS adiantou que os esclarecimento foram pedidos ao BP "no âmbito dos procedimentos que tem vindo a adoptar para obter integral ressarcimento dos danos que lhe foram provocados pelo seu intermediário financeiro Banco Espírito Santo (BES)", que entretanto colapsou.

"(A PT) requereu ao BP a prestação de diversas informações que considera essenciais ao apuramento de todos os responsáveis pela comercialização de instrumentos de dívida emitidos por entidades pertencentes ao Grupo Espírito Santo, nos quais se inclui a Rio Forte Investments", referiu a PT, em comunicado.

Afirmou que "a Portugal Telecom-SGPS, caso o BP insista em não prestar a informação pretendida, utilizará todos os meios ao seu alcance para defesa dos seus direitos".

"Nomeadamente, solicitando ao Tribunal Administrativo competente que intime o BP a fornecer todos os elementos necessários à necessária salvaguarda dos seu direito de indemnização perante o BES e demais responsáveis pelos danos causados", acrescentou.

A PT-SGPS não tem directamente quaisquer negócios de telecomunicações do grupo em Portugal pois estes são detidos pela PT Portugal, tendo apenas uma participação de 25,6 pct na brasileira Oi e os 900 ME de dívida da falida Rioforte, a quem o Tribunal do Comércio do Luxemburgo negou a protecção contra credores e está em liquidação de património.   Continuación...