Accionistas PT SGPS são soberanos para aprovar ou rejeitar venda PT Portugal

viernes 5 de diciembre de 2014 09:04 GYT
 

LISBOA, 5 Dez (Reuters) - O 'board' da brasileira Oi poderá aprovar hoje a venda dos activos portugueses de telecoms da PT Portugal à francesa Altice, mas a PT SGPS vai submeter esta alienação à aprovação dos seus accionistas em AG pois está em gestão corrente dado ser alvo de uma OPA, disse fonte oficial da PT SGPS.

"Os accionistas da PT SGPS é que são soberanos já que a empresa (PT SGPS) está em gestão corrente", disse a fonte oficial da PT SGPS.

O Conselho de Administração (CA) da Oi está em negociações exclusivas com a Altice, que ofereceu 7.400 milhões de euros (ME) por aqueles activos do incumbente em Portugal, superando uma oferta dos fundos Apax e Bain com a Semapa.

A PT Portugal é detida totalmente pela Oi, mas a PT SGPS é o maior accionista da telecom brasileira com 25,6 pct do capital, enquanto a empresária angolana Isabel dos Santos lançou uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a PT SGPS, visando travar aquela venda.

"Ao que tudo indica, a venda da PT Portugal à Altice poderá ser aprovada pelo CA da Oi durante o dia de hoje, pelo que esta aprovação poderá ser apresentada ao CA da PT SGPS na próxima semana ou seguintes ", disse a fonte oficial da PT SGPS.

Adiantou que "a Oi tem de apresentar à PT SGPS um justificativo da venda da PT Portugal, neste caso à Altice, que foi escolhida para negociações exclusivas durante 90 dias", frisando: "esse justificativo tem de apresentar a defesa da valorização das participações dos accionistas da Oi, incluindo a PT SGPS".

"Estando a PT SGPS a ser alvo de uma OPA, o CA da PT SGPS apenas está em gestão corrente e, nesse sentido, terá de solicitar a convocatória de uma Assembleia Geral (AG) para aprovar, ou não, a venda da PT Portugal", salientou.

A maioria do capital da PT-SGPS está disperso em investidores institucionais internacionais, mas tem como maior accionista individual o Novo Banco com 12,6 pct do capital, sendo seguido pela Oi e pela Ongoing com 10 pct cada.

A PT SGPS tem dois Administradores na Oi que, através do conselho de alinhamento estratégico, que tem um total de seis membros, têm poder de veto numa eventual decisão de venda da PT Portugal.

Ontem, um administrador da Terra Peregrin, empresa detida pela empresária angolana Isabel dos Santos, disse que o preço da sua OPA sobre a PT SGPS é justo e não está disponível para revê-lo. (Por Sérgio Gonçalves; Editado por Daniel Alvarenga)