for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Bolsonaro minimiza Covid-19 no dia que Brasil atinge marca de 150 mil mortos

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro voltou a minimizar neste sábado a Covid-19, afirmando a uma apoiadora que ela não precisa se preocupar se for contaminada pelo novo coronavírus, no dia em que o Brasil superou a marca de 150 mil mortes devido à doença.

“Se pegar um dia não fique preocupada. Lógico, se evita, né. Estou com 65 anos. Não senti nada, nem uma gripezinha. Zero, zero. Nada”, disse Bolsonaro, que desde o início da pandemia tem minimizado a doença, em conversa com uma apoiadora transmitida ao vivo nas redes sociais do presidente.

“A questão do vírus, o objetivo do pessoal se precaver não é dizer que não vai pegar, é dizer que pegue ao longo de um tempo, seria essa a intenção, para não acumular gente no hospital”, acrescentou o presidente, que foi diagnosticado com a doença em julho e ficou em isolamento.

Na conversa com a apoiadora, Bolsonaro inclusive pediu, em tom de brincadeira, que ela retirasse a máscara.

O presidente mais cedo fez um passeio de moto pela orla do Guarujá, no litoral sul de São Paulo, onde conversou com simpatizantes e, sem máscara, tirou fotos com apoiadores, provocando aglomeração apesar da pandemia de coronavírus.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registrou neste sábado 559 novas mortes causadas por Covid-19, o que eleva o total de óbitos pela doença no país a 150.198. Enquanto isso, o número de recuperados é de 4,453 milhões e o de pacientes em acompanhamento é 478,7 mil.

Segundo a pasta, também foram notificados 26.749 novos casos da doença, com o total de infecções confirmadas no país atingindo 5.082.637.

((Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

REUTERS PF AAJ

Nuestros Estándares: Los principios Thomson Reuters.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up