for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Dólar abandona mínimas contra real em meio a recuperação da moeda no exterior, temores fiscais seguem em foco

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar abandonava as mínimas do dia contra o real nesta quinta-feira, com os investidores continuando a operar com cautela diante de temores fiscais domésticos, enquanto a moeda norte-americana subia no exterior em meio a esperanças de estímulo nos Estados Unidos.

14/11/2014 REUTERS/Gary Cameron

Às 10:34, o dólar avançava 0,17%, a 5,6330 reais na venda, depois de ter caído mais de 0,6% nas mínimas do pregão.

O dólar futuro de maior liquidez operava em alta de 0,37%, a 5,638 reais.

Segundo Flávio Serrano, economista-chefe do banco Haitong, esse movimento refletia “o fortalecimento do dólar lá fora e incertezas fiscais no Brasil”.

Ele acrescentou que, em dia de poucas novidades ou indicadores relevantes, “o real está andando de lado, sem variação muito grande, ainda mais no contexto de volatilidade que temos visto recentemente”, enquanto permanecem “as dúvidas sobre o arcabouço fiscal e como o projeto de auxílio do governo será financiado”.

No último pregão, o dólar à vista registrou alta de 0,46%, a 5,6235 reais na venda, impulsionado por dúvidas em relação ao financiamento do Renda Cidadã, projeto de assistência social do governo de Jair Bolsonaro.

As incertezas em torno da trajetória das contas públicas eram reforçadas por indicações da equipe econômica de que o governo estuda introduzir cláusula de calamidade na PEC do Pacto Federativo e em meio a um impasse no processo de instalação de Comissão do Orçamento no Congresso.

Nas últimas semanas, o fiscal tem sido apontado como um dos principais motores dos mercados, que estão vivendo um ano agitado em meio a um ambiente de juros baixos e incertezas políticas, econômicas, sanitárias e sociais. Em 2020, o dólar acumula salto de cerca de 40% contra o real.

Enquanto isso, no exterior, a quinta-feira era marcada pelas esperanças de mais estímulo nos Estados Unidos, depois que o presidente do país, Donald Trump, voltou a fazer comentários otimistas em relação a auxílio adicional para a crise da Covid-19.

Na terça-feira, Trump abalou os mercados depois de suspender as negociações de uma lei ampla de estímulo econômico que estava sendo discutida com democratas do Congresso norte-americano.

O índice do dólar contra uma cesta de divisas fortes apresentava leve alta nesta manhã, enquanto moedas emergentes pares do real -- como peso mexicano, lira turca e rand sul-africano -- registravam baixa.

Nesta quinta-feira, o Banco Central fará leilão de swap tradicional para rolagem de até 10 mil contratos com vencimento em abril e julho de 2021.

Por Luana Maria Benedito; edição de Isabel Versiani

Nuestros Estándares: Los principios Thomson Reuters.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up