for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Governo diz que Amapá retomou 80% da carga de energia após novo apagão

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A capacidade de fornecimento de energia no Amapá foi retomada em 80% até a manhã desta quarta-feira, depois de blecautes que deixaram o Estado novamente no escuro na noite da véspera e vieram enquanto a região ainda se recuperava de um apagão anterior, iniciado em 3 de novembro.

Torres de energia nos arredores de Brasília 29/08/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino

O Ministério de Minas e Energia disse que o sistema “apresentou instabilidade” e que um primeiro desligamento foi registrado às 20h27, com novas interrupções quando se buscava a retomada dos serviços, às 21h03 e 21h20.

“Às 21h26min iniciou-se, novamente, a recomposição gradual do sistema. O fornecimento de energia ao Estado foi recuperado com sucesso e se encontra no patamar de 80% de sua capacidade, mesmo cenário apresentado antes da ocorrência”, disse o ministério em nota.

A conclusão da retomada da carga ocorreu na madrugada de quarta-feira, por volta de 1h04, segundo nota do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

O blecaute anterior, iniciado após incêndio em um transformador de uma subestação, chegou a deixar o Amapá com apenas 10% da carga, em situação que ainda não foi totalmente normalizada. O Estado da Região Norte tem promovido um esquema de rodízio no fornecimento.

As informações de empresas e órgãos do setor, no entanto, apontam que o blecaute agora não teve a mesma origem do desligamento anterior, associado a danos em transformadores na subestação Macapá.

O ONS ressaltou que “o transformador da subestação Macapá não apresentou problema” e apontou que os problemas “podem ter sido causados no momento da energização” de uma linha de transmissão (LT Santa Rita - Equatorial).

“A linha está sendo mantida desligada até avaliação a ser realizada pela CEA, distribuidora local. O ONS continua acompanhando a situação no Estado”, acrescentou.

Já a CEA, controlada pelo governo estadual, destacou ter trabalhado para recomposição da distribuição de energia em 13 municípios impactados.

A estatal Eletronorte, da Eletrobras, afirmou que registrou um desligamento da hidrelétrica Coaracy Nunes, “em decorrência de evento externo à usina, provavelmente no sistema de distribuição de energia elétrica”.

A companhia disse que seus técnicos restabeleceram a operação da usina enquanto o fornecimento de energia era recomposto gradualmente pela CEA e pelo ONS.

“A Eletronorte esclarece ainda que não é a proprietária do sistema de distribuição ou transmissão de energia do Estado do Amapá”, acrescentou.

A concessionária responsável por um linhão de transmissão que liga o Amapá ao sistema elétrico interligado do Brasil e pela subestação onde um incêndio gerou o primeiro blecaute disse que o incidente não teve origem em suas instalações.

“Não há nenhum problema no transformador da subestação LMTE, que segue disponível desde a reenergização em 7/11, e vem operando com alta performance”, afirmou a Linhas do Macapá Transmissora de Energia, da Gemini Energy.

A Justiça Federal do Amapá deu em 13 de novembro um prazo adicional de sete dias para restabelecimento da energia no Estado. O juiz também determinou que a União viabilize em dez dias o pagamento de auxílio emergencial de 600 reais, por dois meses, especificamente às famílias carentes residentes nos 13 municípios atingidos pelo apagão.

Nuestros Estándares: Los principios Thomson Reuters.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up