for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Cai apoio a Trump entre eleitores mais velhos e homens brancos, mostra boca de urna

(Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, parece ter perdido algum apoio entre homens brancos e pessoas mais velhas nos Estados da Geórgia e na Virgínia, partes importantes de sua base eleitoral, de acordo com pesquisas da Edison Research nesta terça-feira.

Trump visita seu escritório eleitoral em Arlington, Virginia 03/11/2020 REUTERS/Tom Brenner

Embora Trump ainda conquiste a maioria entre esses eleitores, alguns deles passaram a apoiar o seu adversário democrata, o ex-vice-presidente Joe Biden, conforme mostraram as pesquisa de boca de urna.

A sondagem mostra que sete em cada 10 homens brancos votam em Trump na Geórgia, uma baixa do número que era de oito em cada 10 de vantagem sobre a candidata Hillary Clinton em 2016. Embora Trump seja o escolhido de seis em cada 10 eleitores de pelo menos 65 anos na Geórgia, o número é menor que os sete em cada 10 de quatro anos atrás.

Os resultados finais de ambos os Estados ainda precisam ser contados, mas a vitória de Biden é projetada na Virgínia. Clinton também ganhou no Estado em 2016.

Na Virgínia, Trump conquista seis a cada 10 votos entre os homens brancos sem ensino superior, uma queda dos sete a cada 10 em 2016. A vantagem de Trump entre homens brancos na Virgínia é a mesma, assim como a queda em relação a 2016.

Em uma notícia um pouco mais animadora para o presidente, Trump está conquistando 6 a cada 10 votos na Virgínia entre eleitores com uma renda de 100 mil dólares mensais ou mais.

A pesquisa é baseada em entrevistas presenciais com os eleitores na terça-feira, entrevistas pessoais em centros de votação antes do dia de eleição e entrevistas por telefone com pessoas que votaram pelo correio.

Os resultados nacionais da pesquisa da Edison Research revelam uma grande preocupação com a pandemia de coronavírus que já infectou mais de 9,4 milhões de pessoas nos Estados Unidos e matou mais de 230 mil.

Embora apenas dois a cada 10 eleitores no país tenham dito que a Covid-19 tenha sido a questão que mais impactou em sua escolha para presidente, metade dos eleitores norte-americanos acredita que seja mais importante conter o coronavírus mesmo que isso afete a economia.

Trump fez da abertura total da economia dos EUA uma peça central de sua campanha de reeleição, mesmo com o aumento das infecções. Biden afirmou que Trump não merece um segundo mandato por causa de sua forma de lidar com a pandemia.

Reportagem adicional de Dan Burns e Tiffany Wu

Nuestros Estándares: Los principios Thomson Reuters.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up