for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

TV estatal iraniana mostra suposta confissão de assassinato de astro de luta livre

DUBAI (Reuters) - A televisão estatal iraniana transmitiu no sábado um vídeo em que um campeão de luta livre condenado a duas sentenças de morte parece confessar o assassinato de um segurança de uma empresa de água durante protestos contra o governo em 2018.

O caso do lutador Navid Afkari causou indignação em iranianos e grupos de direitos humanos. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu na quinta-feira que o Irã não executasse o atleta de 27 anos.

A Corte Suprema do Irã mantém duas sentenças de morte contra Afkari, que foi condenado por esfaquear o guarda até a morte, além de outras acusações, de acordo com a imprensa estatal.

O assassinato aconteceu durante os piores distúrbios no país em uma década, após altas nos preços de combustíveis. Os líderes religiosos que comandam o país culpam “bandidos” ligados a exilados e inimigos externos --Estados Unidos e Israel-- pelos protestos de rua.

O canal mostrou o que pareciam ser confissões de Afkari por escrito, mas ele diz em uma gravação que circula nas redes sociais que foi coagido a assinar os documentos.

“Eu golpeei duas vezes, uma e depois de novo”, disse Afkari com um gesto de esfaqueamento durante uma reconstrução policial do assassinato da vítima de meia-idade, Hassan Turkman, um guarda de segurança de uma empresa de água.

O advogado de Afkari disse que não havia evidências claras que provassem a culpa de seu cliente.

“Não há imagem do momento do crime. O suposto vídeo é de uma hora antes do assassinato”, disse Hassan Younesi no Twitter.

A mídia estatal do Irã costuma colocar no ar supostas confissões de suspeitos em casos com acusações políticas.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up