for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Na corrida para substituir Abe como premiê do Japão, Suga surge como forte candidato

TÓQUIO (Reuters) - Yoshihide Suga, um fiel aliado de longa data de Shinzo Abe, surgiu como forte candidato a sucedê-lo como primeiro-ministro do Japão, o que pode resultar em uma ampliação dos estímulos fiscais e monetários que marcaram os quase oito anos de Abe como premiê.

Abe, o primeiro-ministro que governou o Japão por mais tempo, anunciou na sexta-feira que estava renunciando devido a uma doença crônica, abrindo espaço para a eleição de um líder dentro do Partido Liberal Democrata (PLD).

Enquanto alguns outros aspirantes a sucessor declararam sua intenção de concorrer, Suga, de 71 anos, disse que não quer o cargo. Mais os comentários foram colocados em dúvida por um agressivo esforço de mídia nos últimos dias que o colocou no centro das atenções.

“Eles realmente vão tentar fazer com que Suga substitua Abe e continue o governo Abe sem ele”, disse o professor de Ciência Política Koichi Nakano, da Universidade Sophia.

Em uma entrevista à Reuters esta semana, Suga ressaltou a necessidade de impulsionar o crescimento econômico em vez de endurecer as restrições para conter o vírus, apontando para a necessidade de promover o turismo.

“Precisamos considerar o que podemos fazer para evitar que a economia caia de um penhasco”, disse Suga em seu gabinete parlamentar, onde uma grande fotografia dele ao lado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estava exposta.

A entrevista, em que Suga negou novamente que queria o cargo, foi parte de uma blitz de mídia antes de Abe anunciar sua renúncia, na qual ele falou com pelo menos quatro grandes grupos de comunicação.

Suga, um político que traçou seu caminho sozinho, foi escolhido por Abe em 2012 para o importante cargo de secretário-chefe de gabinete, atuando como o principal porta-voz do governo, coordenando políticas e organizando a administração.

O vencedor da eleição do PLD, que a mídia nacional estima que pode acontecer por volta de 15 de setembro, basicamente garante o cargo de primeiro-ministro, porque o partido tem maioria no Parlamento. O ganhador completará o mandato de Abe como líder do PLD, que se encerrará em setembro de 2021.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up