for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Congresso do Peru autoriza segunda retirada de fundo de pensão em desafio ao presidente

LIMA (Reuters) - O Congresso do Peru aprovou nesta segunda-feira uma lei que permitirá aos cidadãos do país andino retirarem mais de seus investimentos em fundos de pensão privados para aliviar a crise econômica causada pela pandemia de coronavírus.

A lei, aprovada quase por unanimidade apesar da oposição do governo do presidente Martín Vizcarra, autoriza a retirada de até 17.200 soles (4.765 dólares) do sistema de aposentadoria privada por membros que não contribuíram por mais de 12 meses consecutivos.

Em abril, o Congresso do Peru promulgou uma lei semelhante permitindo que as pessoas retirassem até 25% de suas participações em fundos de pensão privados. Essa lei permitia uma retirada máxima de 12.900 soles (3.573 dólares).

O Ministério da Economia e o Banco Central alertaram que uma segunda rodada de saques afetaria a solvência do sistema financeiro.

Quatro empresas de fundos de pensão privados operam no Peru. Em março, pouco antes da aprovação da primeira medida, eles administravam o equivalente a 46 bilhões de dólares.

Os fundos foram forçados a liquidar ativos nos mercados local e internacional em julho para acomodar os saques depois que a primeira lei foi aprovada.

Nuestros Estándares: Los principios Thomson Reuters.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up