for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Xi homenageia heróis da Covid-19 conforme China muda o foco para a recuperação econômica

XANGAI/PEQUIM (Reuters) - O presidente da China, Xi Jinping, homenageou os heróis da guerra do povo chinês contra a Covid-19 em uma cerimônia nesta terça-feira, elogiando a resiliência do país, bem como o papel decisivo desempenhado pelo governista Partido Comunista nos esforços de contenção.

Presidente da China, Xi Jinping 08/09/2020 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Desafiando as acusações dos Estados Unidos e de outros países de que falhas iniciais permitiram que a pandemia do coronavírus se propagasse mais rapidamente, Xi disse que a China agiu de maneira aberta e transparente em todas as etapas e tomou medidas decisivas que salvaram vidas.

“A China ajudou a salvar a vida de dezenas de milhões de pessoas em todo o mundo com suas ações práticas, mostrando o desejo sincero da China de construir um futuro comum e uma comunidade para a humanidade”, afirmou Xi em uma cerimônia no Grande Salão do Povo, em Pequim.

O presidente disse que a China é a primeira grande economia a retornar ao crescimento durante a pandemia --um fato que, segundo ele, demonstra a resiliência e a vitalidade do país.

Xi concedeu a Medalha da República, a maior homenagem do país, a Zhong Nanshan, consultor médico sênior e especialista em coronavírus que ajudou a moldar a resposta chinesa ao vírus.

Não houve menção a Li Wenliang, o médico punido por divulgar informações sobre uma nova doença infecciosa em Wuhan e cuja morte por Covid-19, em fevereiro, gerou indignação em todo o país.

A China enfrentou críticas em casa e no exterior nos primeiros dias do surto, com alguns descrevendo a Covid-19 como “Chernobyl da China”, uma referência ao acidente nuclear de 1986 que destruiu a confiança na capacidade da União Soviética de governar.

As autoridades locais em Wuhan, cidade onde o coronavírus foi identificado pela primeira vez, foram acusadas de um encobrimento que atrasou a resposta de emergência do país em pelo menos duas semanas.

Mas, à medida que as infecções se espalham pelo mundo e diminuem na China, Pequim se tornou mais assertiva, resistindo às investigações globais sobre as origens do surto e dizendo que suas ações rápidas ajudaram a ganhar tempo para outros países se prepararem.

Pequim buscou se concentrar no sucesso da China em superar o vírus, e não em suas origens.

“A mudança na narrativa é auxiliada pelo sucesso do governo em conter a disseminação e tem sido bem-sucedido em casa, embora internacionalmente não seja tão bem sucedida quanto esperava”, disse Yanzhong Huang, membro sênior do Conselho de Relações Exteriores.

Por David Stanway, Martin Pollard e Lusha Zhang

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up