for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up
Brazil

Uruguai vai às urnas para escolher presidente, que deverá ser inclinado para direita

Mulher vota em posto de votação no Parque Rodo, Montevidéu, Uruguai. 24/11/2019. REUTERS/Mariana Greif

MONTEVIDÉU (Reuters) - Os uruguaios foram às urnas neste domingo para eleger um novo presidente no segundo turno das eleições, que devem levar o governo do país sul-americano de volta a um governo de centro-direita, após 15 anos de regime de centro-esquerda.

Luis Lacalle Pou, um advogado conservador cujo pai já foi presidente do país, é favorito para derrotar a coalizão de esquerda que levou o país de economia agrícola a um período de estabilidade e relativo crescimento econômico --embora este último esteja desacelerando.

Cerca de 2,7 milhões de eleitores uruguaios irão escolher entre Lacalle Pou, do Partido Nacional, de centro-direita, e Daniel Martínez, do atual partido de governo, Frente Ampla. As urnas serão fechadas às 19h30 no horário local. Os primeiros resultados começarão a sair depois de uma hora.

Com o encerramento das campanhas eleitorais na semana passada, Lacalle Pou, de 46 anos, tinha um tom confiante, dizendo que o país sul-americano estava pedindo mudanças. As pesquisas eleitorais preveem sua vitória sobre Martínez por uma margem entre 6 e 8 pontos.

Em meio a convulsões sociais na região, como na Bolívia e no Chile, o Uruguai continua estável, mas sua economia em desaceleração viu apenas 0,1% de crescimento no segundo trimestre do ano.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up