January 6, 2019 / 1:37 PM / 18 days ago

Partido Social-Democrata exige respostas sobre a violação de dados na Alemanha

BERLIM (Reuters) - Parceiro na coalizão da chanceler Angela Merkel, o Partido Social-Democrata (SPD) exigiu neste domingo que o ministro do Interior descubra rapidamente o que agências de segurança da Alemanha sabiam sobre um enorme vazamento de dados e como reagiram.

A violação chocou as instituições na Alemanha e pode abalar novamente a desajeitada “grande coalizão”, meses depois de uma disputa sobre o destino do chefe da agência de inteligência doméstica ter chegado perto de destruir a aliança.

O governo anunciou na sexta-feira que dados pessoais e documentos de centenas de políticos alemães e figuras públicas, incluindo Merkel, foram publicados online, no que parece ser um dos maiores vazamentos de dados da Alemanha.

Lars Klingbeil, secretário-geral do SPD, disse ao grupo de mídia Funke que o governo deve rapidamente esclarecer “o que e quais agências sabem exatamente e como isso foi tratado”.

“Isso deveria ser uma prioridade para (o ministro do Interior) Horst Seehofer. É sobre proteger nossa democracia”, acrescentou Klingbeil.

Seehofer disse ao Sueddeutsche Zeitung que só ficou sabendo do vazamento na manhã de sexta-feira, mas que compartilharia tudo o que descobrisse com o público e pretendia fazê-lo, o mais tardar, no meio da semana.

O ecologista Anton Hofreiter, líder do Partido Verde no parlamento, disse que o presidente da agência de defesa cibernética do BSI, Arne Schoenbohm, deve se explicar com urgência em uma reunião extraordinária do comitê parlamentar.

No sábado, o BSI defendeu seu papel em responder à violação de dados, dizendo que não poderia ter conectado casos individuais dos quais estava ciente no ano passado, até que todo o lançamento de dados se tornasse público na semana passada.

No ano passado, Seehofer esteve no centro de uma tempestade política com outro chefe de agência de segurança, cujo destino quase acabou com a coalizão de Merkel em seu bloco conservador e com o SPD.

Apesar da resistência do SPD, Seehofer resgatou Hans-Georg Maassen da demissão em setembro, quando o chefe da espionagem doméstica questionou a autenticidade de vídeos mostrando nacionalistas de extrema-direita perseguindo imigrantes na cidade de Chemnitz.

No entanto, em novembro, Maassen foi demitido devido a um discurso feito a portas fechadas, condenando políticas governamentais “ingênuas e esquerdistas”.

Por Paul Carrel

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below