November 7, 2019 / 5:44 PM / 9 days ago

Governo da Bolívia condena violência "vergonhosa" em meio a troca de acusações com oposição

Apoiadores de Morales agridem manifestante de oposição em Cochabamba 06/11/2019 REUTERS/Jose Rocha

LA PAZ (Reuters) - O governo da Bolívia repudiou a violência “vergonhosa” que deixou dezenas de feridos e um morto durante protestos na quarta-feira contra a polêmica eleição presidencial do mês passado, culpando a oposição pelos confrontos enquanto a raiva aumenta dos dois lados.

Críticos do governo apontam o dedo para apoiadores do presidente Evo Morales, cuja vitória eleitoral de outubro foi maculada por alegações de fraude após uma interrupção abrupta na contagem de votos e uma guinada inesperada a favor do líder de esquerda.

Em uma coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, o vice-presidente Álvaro García Linera pediu que os líderes opositores Carlos Mesa e Luis Fernando Camacho ajudem a deter a violência e acatem uma auditoria dos resultados eleitorais em andamento da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Mesa, o segundo colocado na votação de 20 de outubro, e o líder cívico Camacho vêm exortando Morales, que comanda o país desde 2006, a renunciar e convocar novas eleições sem concorrer.

Camacho, que se tornou um símbolo da oposição a Morales, chegou no final da quarta-feira à capital La Paz, onde planeja marchar até o palácio presidencial para entregar uma carta de renúncia pré-escrita para Morales assinar.

Ele arriscará novamente a manobra depois que uma primeira tentativa de chegar à cidade provocou uma reação intensa dos apoiadores do governo, mas ajudou a unir uma oposição fragmentada depois de semanas de protestos e greves vistos em todo o país após a votação.

Ainda na quarta-feira, imagens e filmagens de televisão mostraram grupos se chocando em ruas de cidades de toda a nação, com episódios particulares de violência nas cidades de Cochabamba e La Paz. A morte de um jovem foi confirmada, e imagens de uma prefeita local que ativistas antigoverno cobriram de tinta vermelha circularam amplamente.

Mesa disse no Twitter nesta quinta-feira que o jovem morto, identificado como Limbert Guzmán, foi “assassinado” por apoiadores de Morales e culpou o governo por atiçar a violência.

Por Daniel Ramos

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below