February 2, 2019 / 2:44 PM / 3 months ago

China pede aos EUA que não se retire de tratado nuclear com a Rússia

XANGAI (Reuters) - Os Estados Unidos devem resolver suas diferenças com a Rússia por meio do diálogo e não pela ameaça de se retirar de um importante tratado de controle de armas nucleares entre os dois países, disse neste sábado o Ministério das Relações Exteriores chinês.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse na sexta-feira que Washington deve se retirar do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário em até seis meses se a Rússia não retomar o “cumprimento integral e verificável” do pacto.

Washington alega que o novo míssil de cruzeiro russo Novator 9M729 viola o acordo, que veda modelos de mísseis balísticos e de cruzeiro com alcance entre 500 e 5,5 mil quilômetros.

“Como um importante tratado bilateral sobre controle de armas e desarmamento, o Tratado de Alcance Intermediário tem uma grande significância para melhorar as relações entre as principais potências, fortalecendo a paz regional e internacional e mantendo o equilíbrio e a estabilidade estratégica global”, disse o Ministério das Relações Exteriores em um comunicado publicado em seu site.

“A China se opõe à ação de retirada dos EUA e pede aos Estados Unidos e à Rússia que lidem com suas diferenças apropriadamente por meio do diálogo construtivo”, disse o comunicado, alertando que a retirada unilateral pode provocar “consequências negativas”.

Reportagem de David Stanway

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below