February 27, 2019 / 12:33 PM / 3 months ago

China diz que conversas com Taiwan devem privilegiar "reunificação"

PEQUIM (Reuters) - A China pode conversar com Taiwan contanto que isso ajude a fomentar o desenvolvimento pacífico e a “reunificação”, disse Pequim nesta quarta-feira, depois que o principal partido de oposição da ilha disse que poderia assinar um tratado de paz se vencer uma eleição presidencial no ano que vem.

Simpatizantes do partido oposicionista Kuomintang com bandeiras de Taiwan em Kaoshiung 23/11/2018 REUTERS/Tyrone Siu

A China reivindica Taiwan como parte de seu território e prometeu submeter a ilha, que considera um território sagrado, ao controle chinês – se necessário à força.

Embora a China não tenha abordado a ideia de um acordo de paz em anos, Wu Den-yih, presidente do Kuomintang, que simpatiza com Pequim, disse no início deste mês que o partido poderia assinar um acordo de paz com a China se vencesse a eleição, que deve ser altamente disputada.

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, do pró-independência Partido Democrático Progressista (DPP), disse que a ilha não aceitará nenhum pacto que destrua sua soberania e sua democracia.

O Escritório de Assuntos de Taiwan, órgão chinês de formulação de políticas, emitiu a primeira resposta oficial do governo à proposta de paz do Kuomintang dizendo que tudo que beneficie os interesses dos povos dos dois lados do Estreito de Taiwan deveria ser promovido.

“Contanto que isso beneficie a proteção da paz no Estreito de Taiwan e fortaleça o desenvolvimento pacífico das relações, e instigue o processo pacífico de reunificação à pátria-mãe, pode ser investigado conjuntamente pelos dois lados”, disse o porta-voz An Fengshan em um comunicado de rotina à imprensa.

Ele não mencionou diretamente a ideia de um acordo de paz em sua resposta. A China não toca no assunto desde 2009, quando o então premiê Wen Jiabao o abordou inesperadamente em seu discurso de abertura da reunião anual do Parlamento.

A China traduz a palavra “tong yi” como “reunificação”, mas ela também pode ser traduzida como “unificação”, termo preferido pelos apoiadores da independência taiwanesa que observam que o governo comunista de Pequim jamais governou Taiwan, e que por isso ela não pode ser “reunificada”.

An disse que o DPP está tentando podar o desejo de paz do povo de Taiwan no estreito, o que só prejudicará os interesses deste povo e “arruinará as perspectivas e o futuro de Taiwan”.

A sigla de Tsai sofreu derrotas duras para o Kuomintang nas eleições locais e municipais de novembro.

Tsai, que afirma querer manter o status quo, disse que a China precisa usar meios pacíficos para resolver suas diferenças com Taiwan e respeitar os valores democráticos de Taipei.

Por Ben Blanchard e Gao Liangping

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below