October 31, 2019 / 3:41 PM / 16 days ago

Inquérito de impeachment de Trump passa por primeiro teste em Congresso dividido

WASHINGTON (Reuters) - Mesmo estando profundamente dividida, a Câmara dos Deputados dos Estados Unidos deu um passo importante em relação ao impeachment do presidente Donald Trump nesta quinta-feira, quando parlamentares aprovaram regras para a próxima fase, inclusive audiências públicas, do inquérito liderado pelos democratas a respeito da tentativa de Trump de fazer a Ucrânia investigar um rival político.

Câmara dos Deputados dos EUA 31/10/2019 REUTERS/Tom Brenner

No primeiro teste formal do apoio ao inquérito de impeachment, a Câmara de maioria democrata votou de forma quase inteiramente partidária —232 a 196— para fazer a investigação avançar no Congresso, o que pode prejudicar Trump antes da eleição presidencial de 2020.

A votação demonstrou união entre os democratas que acusam Trump de abusar do cargo e ameaçar a segurança nacional, mas não recebeu nem um único voto republicano.

“É um dia triste. Ninguém vem ao Congresso para afastar o presidente”, disse a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, antes da votação.

Republicanos acusam os democratas de usarem o impeachment para reverter os resultados da eleição de 2016, e a Casa Branca disse que os opositores têm uma “obsessão desenfreada” pelo impeachment.

“A Maior Caça às Bruxas da História Americana!”, tuitou Trump nesta quinta-feira.

O inquérito se concentra em um pedido de Trump para que seu colega ucraniano, Volodymr Zelenskiy, investigasse Joe Biden, ex-vice-presidente e adversário democrata de Trump, e seu filho, Hunter, que foi diretor da empresa de energia ucraniana Burisma.

Biden é um dos principais postulantes à indicação democrata para enfrentar Trump na eleição presidencial de novembro de 2020.

Trump nega qualquer irregularidade. A maioria dos republicanos está ao seu lado e refuta o inquérito, que rotula como um exercício partidário em que têm pouca voz.

“Estas são regras de estilo soviético”, disse o deputado Steve Scalise, o segundo republicano mais graduado da Câmara, parado perto de um pôster que retratava os famosos domos em forma de cebola da Catedral de São Basílio em Moscou.

Só dois democratas —Collin Peterson, do Minnesota, e Jeff Van Drew, de Nova Jersey— votaram contra a medida.

Se a Câmara acabar votando a favor do impeachment de Trump, desencadeará um julgamento no Senado, que é controlado pelos republicanos. Trump só perderia o cargo se dois terços dos senadores o condenassem —algo que parece improvável, já que os congressistas republicanos vêm mostrando relutância para se voltarem contra o presidente.

Reportagem adicional de Doina Chiacu

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below