December 26, 2018 / 7:50 PM / 6 months ago

Trump defende retirada de tropas da Síria durante visita surpresa ao Iraque

BASE AÉREA Al ASAD, Iraque (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, defendeu nesta quarta-feira sua decisão de retirar tropas norte-americanas da Síria durante uma visita surpresa ao Iraque, dizendo que muitas pessoas vão concordar com o modo dele de pensar.

Trump faz discurso a soldados na Base Aérea Al Asad, no Iraque 26/11/2018 REUTERS/Jonathan Ernst

Trump tomou abruptamente a decisão sobre a Síria na semana passada, contra o conselho dos principais assessores, incluindo o secretário de Defesa James Mattis, que pediu demissão no dia seguinte.

Trump disse que havia dito a seus assessores que os EUA sairiam da Síria, mas foi persuadido a ficar, antes de decidir trazer os 2.000 soldados de volta para casa.

“Acho que muitas pessoas vão pensar no meu modo de pensar. É hora de começarmos a usar a cabeça”, afirmou o presidente a repórteres na Base Aérea Al Asad, a oeste de Bagdá, onde ele e a primeira-dama Melania Trump passaram três horas em visita a tropas dos EUA.

A base, na província de Anbar, se tornou uma das principais bases dos fuzileiros navais dos EUA após a invasão do Iraque em 2003. Desde que as forças dos EUA voltaram ao país em 2014, a base tem desempenhado um papel central na luta contra o Estado Islâmico, devido a sua localização.

Trump disse que os Estados Unidos permanecerão no Iraque. “Na verdade, nós podemos usar aqui como base se quisermos fazer algo na Síria”, afirmou.

A Reuters noticiou na semana passada que o Pentágono estuda utilizar forças especiais para atacar alvos do Estado Islâmico na Síria a partir de bases no Iraque.

Em sua visita ao Iraque, Trump indicou que não se apressaria para nomear um novo secretário para substituir Mattis, o primeiro titular da Defesa dos EUA em décadas a pedir demissão por causa de diferenças políticas com o presidente.

Trump disse que o secretário de Defesa interino, Patrick Shanahan, que foi nomeado para substituir Mattis até 1 de janeiro, “pode ficar lá por muito tempo”.

Trump tem sido criticado duramente por republicanos, democratas e por aliados internacionais sobre sua decisão de se retirar da Síria por achar que os militantes do Estado Islâmico foram derrotados.

Os críticos alegam que a decisão pode reduzir a vantagem dos EUA na região e prejudicar os esforços diplomáticos para encerrar a guerra civil na Síria, que já dura oito anos.

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below