November 28, 2019 / 11:53 AM / 8 days ago

Natura expressa apoio a ONG após prisão de brigadistas no Pará

BRASÍLIA (Reuters) - A Natura manifestou preocupação na quarta-feira com a operação policial contra uma organização não governamental (ONG) com a qual fez uma parceria de desenvolvimento sustentável na Amazônia.

Produtos da Natura na fábrica da empresa em Cajamar (SP) 01/09/2009 REUTERS/Paulo Whitaker

Na terça-feira, a polícia do Pará realizou buscas no Projeto Saúde e Alegria como parte de um inquérito sobre as causas dos incêndios registrados este ano na Amazônia. A polícia também prendeu quatro brigadistas que trabalhavam para outra ONG, acusando-os de atear fogo propositalmente na tentativa de aumentar as doações.

As prisões provocaram revolta em políticos e ONGs, que as viram como uma medida para perseguir grupos ambientalistas injustamente.

A Natura, que fabrica muitos produtos usando aditivos naturais da Amazônia, disse que o Projeto Saúde e Alegria é parte de uma parceria que formou no ano passado com várias organizações para o fornecimento de ingredientes.

Em um comunicado publicado nas redes sociais, a Natura só falou sobre a operação no Projeto Saúde e Alegria, sem mencionar os brigadistas.

A Natura expressou solidariedade com o Projeto Saúde e Alegria e disse se preocupar com os meios empregados para tratar de uma questão tão sensível quanto o futuro da Amazônia.

O Projeto Saúde e Alegria se envolve intensamente em esforços de prevenção de incêndios na mesma região da brigada de incêndio de Alter do Chão, cujos membros foram presos.

Ainda na quarta-feira, um juiz negou a libertação dos quatro brigadistas, determinando que eles podem ficar presos por 10 dias como medida preventiva enquanto a polícia continua a investigação, de acordo com Michell Durans, o advogado que os representa.

Em uma entrevista por telefone, Durans disse que eles apelarão da decisão e que espera que uma liminar contra as prisões seja analisada na sexta-feira.

O presidente Jair Bolsonaro é um crítico das ONGs, que diz agirem em nome de interesses estrangeiros para minar a soberania do país. Quando os incêndios florestais na Amazônia atingiram seu maior índice desde agosto de 2010, Bolsonaro insinuou que as ONGs tinham culpa pelas chamas.

O Greenpeace e outros grupos disseram que a operação desta semana foi parte de uma campanha mais abrangente para criminalizar movimentos sociais e ONGs.

Reportagem adicional de Brad Haynes

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below