February 18, 2019 / 2:52 PM / 7 months ago

Haiti promete cortar gastos e investigar PetroCaribe em meio a protestos

SANTO DOMINGO (Reuters) - O governo do Haiti prometeu aprofundar uma investigação sobre a suposta corrupção no programa de petróleo PetroCaribe e reduzir seus gastos na tentativa de satisfazer algumas das exigências dos manifestantes enquanto protestos assolam o país.

Primeiro-ministro do Haiti, Jean Henry Céant, durante cerimônia em Porto Príncipe 17/09/2018 REUTERS/Andres Martinez Casares

Durante um pronunciamento televisionado na noite de sábado, o primeiro-ministro Jean-Henry Céant anunciou nove medidas para aliviar a crise econômica haitiana. Ele disse que o governo cortará 30 por cento de seus gastos, conversará com o setor privado para tentar elevar o salário mínimo e indicará um novo diretor para intensificar o inquérito na PetroCaribe.

“Eu e os membros do governo ouvimos a voz (da oposição), ouvimos este brado, entendemos sua raiva e indignação”, afirmou Céant.

Desde 7 de fevereiro, milhares de manifestantes pedem a renúncia do presidente Jovenel Moise e de Céant e um inquérito independente sobre o paradeiro dos fundos do acordo PetroCaribe, uma aliança entre países caribenhos e a Venezuela.

Os termos preferenciais do acordo para a compra de energia deveriam ajudar a liberar fundos para auxiliar o desenvolvimento do país, assolado por desastres naturais e listado como o mais pobre das Américas, segundo o Banco Mundial.        

Céant alertou que os protestos criam o risco de instigar uma crise humanitária.

“A população sofre muito, porque estradas bloqueadas não conseguem entregar água potável, alimentos, gasolina. É quase impossível ter eletricidade”, disse Céant, que vinha mantendo silêncio sobre os protestos, que supostamente deixaram vários mortos e muitos outros feridos.

Desde que as manifestações começaram, vários governos estrangeiros, como os de Estados Unidos e Canadá, instruíram seus cidadãos a evitarem viajar para o Haiti.

A expectativa é que os protestos recomecem nesta semana.

Para combater a crise econômica, o governo reduzirá as despesas diminuindo as viagens ao exterior e a contratação de conselheiros, segundo Céant. O governo também buscará mais investimento externo para reanimar a economia, acrescentou.

Moise ainda pediu diálogo entre governo e oposição durante um discurso feito na quinta-feira.        

Em um comunicado emitido no sábado, o Fórum Econômico do Setor Privado, um grupo empresarial do Haiti, elogiou o pedido de diálogo do governo, mas disse que a crise é o resultado da “falta de liderança” de Moise.

Por Ezequiel Abiu López

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below