December 30, 2018 / 1:25 PM / 22 days ago

Eleição em Bangladesh tem violência e denúncia de manipulação

DACA (Reuters) - A Comissão Eleitoral de Bangladesh está investigando alegações de manipulação de votos em todo o país neste domingo, disse um porta-voz à Reuters, enquanto uma eleição geral marcada pela violência terminava e a contagem de votos, começava.

Os confrontos entre partidários da Liga Awami e seus opositores mataram 17 pessoas e feriram mais de 20, informou a polícia, em meio a relatos de que mais de três dúzias de candidatos da oposição que se queixavam de supostas tentativas de manipulação se retiraram da primeira eleição competitiva do país em uma década.

O principal partido de oposição de Bangladesh, o BNP, disse que um dos seus candidatos de Daca foi esfaqueado enquanto se deslocava no seu círculo eleitoral. A polícia disse que as circunstâncias do ataque a Salahuddin Ahmed ainda não estavam claras.

A Comissão Eleitoral informou que agirá se a manipulação for confirmada, mesmo que pelo menos três eleitores no sudeste de Bangladesh, incluindo um jornalista, tenham dito que foram impedidos de entrar nas urnas ou tenham sido informados de que seus boletins de voto já estavam preenchidos.

“As alegações estão vindo de todo o país e estão sob investigação”, disse o porta-voz da comissão, SM Asaduzzaman. “Se recebermos alguma confirmação de nossos próprios canais, as medidas serão tomadas de acordo com as regras.”

Repórteres da Reuters em todo o país, de 165 milhões de habitantes, viram uma participação escassa nas urnas durante a eleição, que deve ser vencida pela primeira-ministra Sheikh Hasina, dando-lhe um terceiro mandato consecutivo.

A internet móvel foi bloqueada e as ruas da capital estavam praticamente desertas, já que muitos haviam deixado para votar em suas cidades de origem. Em nove centros de votação em Daca visitados pela Reuters, cartazes da Liga Awami superavam em muito os da oposição.

Mahbub Talukdar, um dos cinco comissários eleitorais que provocou uma controvérsia na semana passada ao dizer que não havia igualdade de condições para as partes, disse à Reuters que não viu nenhum representante da oposição perto do local onde votou em Daca, sugerindo que eles foram mantidos afastados.

Reportagem adicional de Ruma Paul, Serajul Quadir, Rafifqur Rahman e Mohammed Ponir, em Daca; Enamul Haque, em Khulna; Hasibur Rahman, em Bogra; Nazimuddin Shyamol, em Chitagong

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below