August 24, 2019 / 4:06 PM / 4 months ago

China alerta EUA a pararem ações comerciais 'erradas' ou enfrentarão consequências

30/07/2019 REUTERS/Aly Song

PEQUIM (Reuters) - A China disse neste sábado que se opõe fortemente à decisão de Washington de cobrar tarifas adicionais a 550 bilhões de dólares em mercadorias chinesas e alertou os Estados Unidos de consequências se não encerrarem suas “ações erradas”.

Os comentários feitos pelo Ministério do Comércio da China vieram depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou na sexta-feira que Washington imporia um imposto adicional de 5% sobre os produtos chineses, horas depois de Pequim anunciar suas últimas tarifas retaliatórias em cerca de 75 bilhões de dólares em mercadorias dos EUA.

“Esse protecionismo comercial unilateral e intimidador e a pressão máxima violam o consenso alcançado pelo chefe da China e dos Estados Unidos, violam o princípio do respeito mútuo e do benefício mútuo e danificam seriamente o sistema comercial multilateral e a ordem comercial internacional normal”, disse ministério do comércio da China em um comunicado neste sábado.

“A China adverte fortemente os Estados Unidos a não julgarem mal a situação ou subestimarem a determinação do povo chinês”, acrescentou.

O último passo tarifário de Trump, anunciado no Twitter, disse que os EUA aumentariam suas tarifas existentes em 250 bilhões de dólares em importações chinesas para 30% dos atuais 25% a partir de 1º de outubro, o 70º aniversário da fundação da República Popular Comunista da China.

Ao mesmo tempo, Trump anunciou um aumento nas tarifas planejadas dos 300 bilhões de dólares restantes em mercadorias chinesas para 15%, de 10%. Os EUA começarão a impor essas tarifas sobre alguns produtos a partir de 1º de setembro, mas as tarifas sobre cerca de metade desses produtos foram adiadas para 15 de dezembro.

Trump estava respondendo à decisão de Pequim na noite de sexta-feira de que planejava impor tarifas retaliatórias a 75 bilhões de dólares em importações dos EUA, variando de soja a etanol. A China também restabelecerá tarifas de 25% em carros e 5% em autopeças suspensas em dezembro passado.

O consultor econômico da Casa Branca disse no início da semana que o governo Trump estava planejando conversas pessoais entre autoridades norte-americanas e chinesas em setembro. Não está claro se a reunião bilateral ainda ocorrerá.

A guerra comercial de um ano entre as duas maiores economias do mundo tem agitado os mercados financeiros e abalado a economia global.

Reportagem de Winni Zhou e Se Young Lee

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below