January 26, 2020 / 5:18 PM / a month ago

Hong Kong proíbe entrada de moradores de Hubei

HONG KONG (Reuters) - Autoridades de Hong Kong proibiram neste domingo que moradores da província chinesa de Hubei, o centro do surto de coronavírus, entrem na cidade, em resposta à crescente pressão para aprovar medidas preventivas para conter a epidemia.

A proibição inclui aqueles que estiveram na província nos últimos 14 dias, mas excluem os cidadãos de Hong Kong.

Mais cedo um grupo de manifestantes incendiou o saguão de um prédio residencial recém-construído em Hong Kong que as autoridades planejavam usar como quarentena para o surto de coronavírus.

Uma testemunha da Reuters viu vários manifestantes mascarados, vestidos de preto, entrando no quarteirão público no distrito de Fanling, perto da fronteira com a China, e acendendo um coquetel molotov. Podia-se ver fumaça negra saindo do prédio ao som de alarmes de incêndio. Janelas foram quebradas.

Os bombeiros conseguiram apagar o fogo e os danos pareciam estar confinados à área do lobby. Centenas de policiais também agiram, prendendo pelo menos uma pessoa.

À medida que os temores sobre o surto de vírus se intensificam, aumentam os pedidos para o governo de Hong Kong fechar a fronteira do centro financeiro com a China continental para minimizar o risco de infecção.

Antes, centenas de cidadãos de Hong Kong haviam bloqueado as estradas que levavam ao prédio com tijolos e outros detritos, para protestar contra os planos de converter o prédio em uma zona de quarentena, quando o número de casos confirmados na cidade subiu para seis.

“Estamos insatisfeitos com o governo que selecionou esse conjunto habitacional como uma vila de separação (quarentena), pois fica muito perto de uma área residencial e de uma escola primária”, disse um morador de 28 anos de sobrenome Tsang.

As autoridades de Hong Kong disseram que converteriam “Fai Ming Estate, uma propriedade pública desocupada em Fanling, em apartamentos temporários para quarentena e observação de pessoas próximas sem sintomas, se necessário”.

Após o protesto, o governo disse que “cessaria os trabalhos de preparação relacionados no Estado de Fai Ming”.

Até agora, as autoridades de Hong Kong se recusaram a bloquear categoricamente o fluxo de visitantes da China continental através de várias passagens de fronteira terrestre. As conexões diretas de trem e voo de e para Wuhan foram suspensas.

As autoridades de saúde disseram que 107 pessoas estavam em quarentena e havia 77 casos suspeitos.

A capacidade do novo coronavírus se espalhar está se fortalecendo e as infecções podem continuar aumentando, disse a Comissão Nacional de Saúde da China neste domingo, com quase 2.000 pessoas na China infectadas e 56 mortas pela doença.

Reportagem adicional Tyrone Siu e Aleksander Solum em Hong Kong, Ben Blanchard em Taipei

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below