December 16, 2018 / 7:08 PM / 10 months ago

Turquia diz que poderia trabalhar com Assad se ele vencesse uma eleição democrática

DOHA (Reuters) - A Turquia e outras potências globais poderiam considerar trabalhar com o presidente sírio Bashar al-Assad se ele vencesse uma eleição democrática, disse neste domingo o ministro de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, em uma conferência no Catar.

A Turquia apoiou a oposição a Assad na guerra civil que estourou na Síria em 2011 e continua a apoiar forças rebeldes que controlam parte do noroeste da Síria. Há um ano, o presidente turco Tayyip Erdogan descreveu Assad como um terrorista e disse que era impossível que os esforços pela paz na Síria continuassem com ele.

Desde então, Assad, com apoio da Rússia e do Irã, conseguiu expulsar os rebeldes de fortalezas no sul do país e do entorno de Damasco, reforçando sua autoridade mesmo enquanto partes do país seguem fora do controle do governo.

Questionado sobre se a Turquia poderia trabalhar com Assad, Cavusoglu afirmou que a Síria deveria promover uma eleição. Se Assad vencesse, ele afirmou no evento em Doha, e se essa for uma eleição democrática, e se ela for crível, então todos deveriam considerar (trabalhar com ele).”

Assad venceu uma disputa pela reeleição em 2014, ao assegurar 88,7 por cento dos votos em uma eleição que a oposição apontou como uma farsa, dizendo que ele não enfrentou nenhum candidato rival confiável e que nenhuma pesquisa realizada em meio a uma guerra civil poderia ser crível.

Por Dmitry Zdhannikov

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below