February 25, 2019 / 1:58 PM / 3 months ago

Premiê britânica renova esforços para mudar acordo do Brexit

SHARM EL-SHEIKH, Egito (Reuters) - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, enfrenta uma ameaça crescente de ser obrigada a adiar a separação britânica da União Europeia, uma medida que cria o risco de um duelo com os eurocéticos de seu Partido Conservador poucas semanas antes do Brexit.

24/2/2019 REUTERS/Mohamed Abd El Ghany

A crise do Brexit ameaça se arrastar até o último minuto, e May está tendo dificuldade para conseguir o tipo de mudanças da UE que diz precisar para que seu acordo de desfiliação passe no Parlamento profundamente dividido e encaminhe a maior reviravolta política da nação em mais de 40 anos.

Em Sharm el-Sheikh, no Egito, para uma cúpula entre a UE e a Liga Árabe, May se encontrou com os líderes do bloco para tentar angariar apoio aos seus esforços para tornar seu acordo mais atraente ao Parlamento, onde parlamentares frustrados estão se mobilizando para tentar tirar o Brexit do controle do governo.

A decisão de adiar uma votação do acordo para março, poucos dias antes da data de saída do Reino Unido, levou os parlamentares a intensificarem empenho para impedir um Brexit sem acordo, cenário que muitos empresários veem como prejudicial à quinta maior economia do mundo.

Vários de seus planos envolvem prorrogar o Artigo 50, que desencadeou o período de negociação de dois anos do Brexit, adiando a separação britânica para depois de 29 de março – algo que May disse que só atrasaria uma decisão inevitável.

Uma autoridade do governo disse que os ministros estão “estudando o que fazer se o Parlamento tomar esta decisão” (de não aprovar o acordo) quando foi indagada sobre um possível adiamento.

Tobias Ellwood, ministro da Defesa, também disse à rádio BBC: “Se não conseguirmos fazer este acordo avançar, estamos diante da perspectiva de ter que adiar.”

A UE disse estar cogitando uma prorrogação para o processo do Brexit, mas somente se Londres conseguir oferecer provas de que tal adiamento romperia o impasse no Parlamento, que votou majoritariamente contra o pacto no mês passado – a pior derrota de um governo na história britânica moderna.

Na cúpula UE-Liga Árabe, May se reuniu com a chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte – uma iniciativa clara para obter o apoio de ambos em sua busca por alterações substantivas no acordo acertado em novembro.

Mas ela enfrenta uma frustração crescente de Bruxelas, que até agora vem repelindo suas tentativas de reabrir o acordo.

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below