November 19, 2018 / 1:21 PM / 24 days ago

Theresa May promete manter acordo do Brexit e oponentes ameaçam desafiar sua liderança

LONDRES (Reuters) - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, prometeu nesta segunda-feira se ater ao seu polêmico esboço de acordo para a separação britânica da União Europeia, e parlamentares dissidentes de seu próprio partido tentam desafiar sua liderança.

Theresa May fala em Londres 19/11/2018 . REUTERS/Toby Melville

Desde que chegou a um acordo, na terça-feira, May está enfrentando a crise mais perigosa desde que assumiu, já que vários ministros renunciaram – inclusive o encarregado do Brexit.

A premiê prometeu continuar lutando e alertou que derrubá-la cria o risco de adiar a desfiliação da UE ou sair do bloco sem um acordo, o que lançaria a quinta maior economia do mundo no desconhecido.

“Temos em vista um acordo que funcionará para o Reino Unido e, que ninguém duvide, estou determinada a finalizá-lo”, disse May em um discurso ao CBI, o principal lobby empresarial britânico, sendo muito aplaudida. “Não estamos falando de teoria política, mas da realidade da vida e do sustento das pessoas”.

“Embora o mundo esteja mudando rápido, nossa geografia não está: a Europa sempre será nosso mercado de bens mais imediato, e garantir fronteiras fluidas é crucial”, disse May, citando a importância da indústria automotiva.

A UE deve realizar uma cúpula para debater o esboço do pacto em 25 de novembro. Há relatos de que alguns ministros que apoiam o Brexit querem reescrever partes dele, mas a Alemanha descartou tal ideia.

O negociador do Brexit da UE, Michel Barnier, disse que o esboço de acordo é “justo e equilibrado”.

Mais de dois anos depois de o Reino Unido votar pela desfiliação da UE, ainda não está claro como, em que termos ou mesmo se o país deixará o bloco tal como planejado em 29 de março de 2019.

Muitos líderes empresariais e investidores temem que a política frustre um pacto, sujeitando a economia a uma separação sem acordo com o bloco que enfraqueceria o Ocidente, assustaria os mercados financeiros e entupiria as artérias do comércio.

O presidente do CBI, John Allan, disse que tal Brexit seria uma “bola de demolição” para a economia britânica, e a diretora-geral da entidade, Carolyn Fairbairn, disse que os políticos estão fazendo apostas altas que podem levar a uma separação sem acordo.

Indagada sobre a impopularidade de seu pacto entre muitos de sua sigla, May disse que os eleitores deveriam ouvir o empresariado.

No entanto, rebeldes em seu próprio Partido Conservador que dizem que o acordo deixará o Reino Unido em subjugação indefinida à UE estão tentando desencadear uma votação de desconfiança à sua liderança.

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below