April 25, 2020 / 5:59 PM / a month ago

'Quero minha vida de volta': alemães protestam contra isolamento social

BERLIM (Reuters) - A polícia alemã, usando equipamento anti-motim e máscaras, entrou em conflito no sábado com dezenas de manifestantes em Berlim que protestavam contra a quarentena determinada pelo governo para controlar a epidemia de coronavírus.

Manifestante detido pela polícia alemã durante protesto contra isolamento social em Berlim 25/04/2020 REUTERS/Christian Mang

Os manifestantes gritavam “Quero minha vida de volta” e exibiam cartazes com slogans como “Proteger os direitos constitucionais”, “Liberdade não é tudo, mas sem liberdade, tudo é nada” e “Papai, o que é um beijo?”

A polícia informou no Twitter que havia prendido mais de 100 pessoas.

Alguns manifestantes tentaram manter distância um do outro, sentados no chão e usando máscaras, mas outros se agruparam.

Como dezenas de países ao redor do mundo, a Alemanha adotou restrições rígidas à atividade pública para desacelerar a transmissão do COVID-19, impondo seu bloqueio em 17 de março.

Os manifestantes distribuíram jornais intitulados “Resistência Democrática”, que diziam que o novo coronavírus é uma tentativa de tomar o poder espalhando o medo. Os jornais citaram 127 médicos de todo o mundo que questionam a necessidade de bloqueios rigorosos.

O porta-voz da polícia, Thilo Cablitz, disse que a permissão foi concedida para uma campanha de distribuição de jornais, mas as autoridades de saúde não concederam permissão para uma manifestação pública.

“Durante os tempos de coronavírus e de acordo com os regulamentos de contenção, somos obrigados a impedir uma reunião”, disse Cablitz, acrescentando que 180 policiais estavam de plantão.

O Tribunal Constitucional da Alemanha decidiu no início deste mês que as pessoas têm o direito de realizar protestos se seguirem as regras de distanciamento social, depois que ativistas pró-democracia entraram com ação argumentando que o bloqueio viola a liberdade de reunião.

No sábado, alguns manifestantes sentaram-se pacificamente no chão, distantes um do outro, segurando rosas brancas em referência ao movimento de resistência da Rosa Branca contra os nazistas.

“Estamos aqui hoje ... para defender nossa opinião. Pela proteção dos direitos constitucionais, da liberdade e, acima de tudo, da liberdade de expressão”, disse uma mulher segurando uma rosa que deu seu nome apenas como Sandra.

A Alemanha tem o quinto maior total de casos COVID-19, atrás dos Estados Unidos, Espanha, Itália e França. No entanto, manteve as mortes relativamente baixas após testes iniciais e extensos.

Encorajado pelos números mais baixos da infecção, o governo permitiu que as lojas menores fossem reabertas na segunda-feira, juntamente com os concessionárias de carros e bicicletas, e livrarias, mas as regras distanciamento social permanecem em vigor até maio 3.

Reportagem de Emma Thomasson

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below