April 27, 2019 / 5:28 PM / 22 days ago

Sri Lanka proíbe grupos suspeitos por ataques, e militares ferem familiares de suposto mentor

COLOMBO (Reuters) - O presidente do Sri Lanka classificou como proscritos neste sábado dois grupos islâmicos suspeitos de terem planejado os ataques suicidas a igrejas e hotéis, enquanto a mulher e um filho do suposto líder dos grupos foram feridas durante operação militar em uma casa, informaram a polícia e a família.

    Os grupos National Thawheedh Jamaath (NTJ) e Jamathei Millathu Ibrahim foram proibidos pelo presidente, Maithripala Sirisena, quase uma semana depois dos ataques no domingo de Páscoa, que mataram mais de 250 pessoas.

    Autoridades não puderam agir antes para barrar os dois grupos porque a lei exigia fortes evidências contra eles, disseram autoridades.

    A polícia acredita que o mentor dos ataques, Mohamed Hashim Mohamed Zahran, liderava o NTJ ou um grupo coligado. O Jamathei Millathu Ibrahim é menos conhecido, e também se acredita que seus membros tiveram importante papel nos ataques.

    O Estado Islâmico reivindicou a autoria dos ataques.

    Quase 10 mil soldados foram mobilizados em toda a ilha para realizar buscas e aumentar a segurança desde os ataques às três igrejas e quatro hotéis, a maioria na capital, Colombo.

    As forças de segurança prenderam 100 pessoas, entre elas estrangeiros da Síria e do Egito, informou a polícia.    

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below