January 8, 2020 / 4:20 PM / 15 days ago

Doria rejeita corte do ICMS sobre combustíveis como sugerido por Bolsonaro

Governador do Estado de São Paulo, João Doria 21/02/2019 REUTERS/Amanda Perobelli

SÃO PAULO (Reuters) - O governador de São Paulo, João Doria, rejeitou veementemente nesta quarta-feira a ideia de os Estados reduzirem a alíquota de ICMS cobrada sobre os combustíveis como forma de compensar eventuais altas adicionais do produto devido à escalada internacional das cotações do petróleo.

“Não faz nenhum sentido jogar isso nas costas dos Estados”, disse Doria a jornalistas, após participar de leilão de rodovia paulista, na B3. “Esse assunto nem será estudado.”

Na sexta-feira passada, quando o petróleo Brent saltou 3,6% pelo acirramento das tensões entre Estados Unidos e Irã, a 68,80 dólares por barril, Bolsonaro afirmou que uma elevação no preço do petróleo poderia ser compensada por diminuição nas alíquotas do ICMS, imposto de competência estadual.

Porém, na segunda-feira, o diretor institucional do Comitê dos Secretários de Fazenda dos Estado (Comsefaz), André Horta, afirmou que os Estados brasileiros não conversaram sobre a redução do ICMS sobre combustíveis, como sugerido por Bolsonaro para aliviar as pressões sobre os preços.

Por Aluísio Alves

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below