March 26, 2019 / 2:14 PM / a month ago

Venezuela suspende aulas e jornada de trabalho devido a novo blecaute

CARACAS (Reuters) - O governo da Venezuela suspendeu as aulas e a jornada de trabalho em todo o país depois que várias cidades e amplas zonas de Caracas amanheceram sem energia elétrica nesta terça-feira, 20 dias depois que um grande blecaute deixou o país petroleiro no escuro durante quase uma semana.

Homem caminha por corredor de prédio às escuras em Caracas devido a blecaute 26/03/2019 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Na tarde de segunda-feira, uma falha classificada pelo governo do presidente Nicolás Maduro como “um ataque” deixou a maioria dos 24 Estados do país sem luz por cerca de cinco horas.

De noite, após o restabelecimento parcial do serviço, a luz voltou a faltar, e na manhã desta terça-feira grande parte do país continuava sem eletricidade, segundo testemunhas da Reuters e usuários de redes sociais.

“Perpetrou-se um novo ataque de magnitude no pátio de transformadores de Guri”, disse o ministro das Comunicações, Jorge Rodríguez, na noite de segunda-feira, em referência ao maior complexo hidrelétrico da Venezuela, que fornece cerca de 70 por cento da energia da nação.

Rodríguez não especificou a falha, mas disse que ela afetou “três linhas (de transmissão) muito importantes”.

Alguns especialistas sustentaram que os cortes de luz são produto da deterioração do serviço por falta de investimento desde que o falecido presidente Hugo Chávez nacionalizou o setor elétrico, em 2007.

TRANSTORNOS

Em Caracas, os comércios, bancos e colégios estavam fechados e o transporte público em circulação era mínimo. O metrô e os trens não estavam operando.

A energia elétrica havia retornado em muitas partes de Caracas por volta do meio-dia nesta terça-feira na cidade, mas empresas continuavam sem funcionar e poucos pedestres caminhavam pelas ruas.

Como as linhas telefônicas e a internet não funcionavam bem, algumas pessoas não souberam da medida governamental de cancelar a jornada de trabalho durante 24 horas e foram aos seus empregos, encontrando-os fechados.

“A qualidade de vida que temos no país está no chão”, queixou-se Yolanda González, uma assistente de dentista de 50 anos que estava esperando transporte público para ir trabalhar em uma zona de classe média de Caracas sem saber se o consultório estaria aberto.

A falta de luz também estava afetando a distribuição de água potável, deixando hospitais sem energia e provocando o colapso dos bancos virtuais, vitais devido à escassez de moeda em um país com hiperinflação.

As operações no principal terminal de exportação de petróleo, José, foram afetadas pelos cortes de luz, disse à Reuters uma fonte da estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA). O resto da indústria petrolífera, que conta essencialmente com subsídios próprios, não reportava falhas.

Rodríguez, disse na segunda-feira que o apagão que começou no início da tarde foi resultado de um ataque à principal represa hidrelétrica de Guri e que afetou três grandes linhas de transmissão.

Rodríguez não colocou a culpa explicitamente da interrupção de segunda-feira em qualquer indivíduo ou grupo em particular. Mas ele disse que “a intenção da extrema-direita da Venezuela é atacar, gerar ansiedade e angústia, a fim de tomar o poder e roubar todos os nossos recursos”.

O Ministro das Minas e Energia do Brasil, Bento Albuquerque, disse nesta terça-feira que a Venezuela não cumpre seu contrato para fornecer energia ao Estado de Roraima, no norte do país, desde 7 de março, sem fornecer detalhes.

Nuestros Estándares:Los principios Thomson Reuters
0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below